Como reduzir gastos com seu automóvel

Maneira como motorista dirige pode influenciar na durabilidade e nas despesas com o veículo

Os custos gerados por um automóvel vão muito além do investimento do momento da compra. Ter um carro gera gastos para o motorista, incluindo a manutenção, impostos, abastecimento, seguro, além de outras despesas inevitáveis. Portanto, é preciso estar ciente de que, apesar de todos os benefícios e praticidades que o transporte possa trazer, ele também pode ser um “vilão” da sua economia.

No entanto, nada de se desesperar e desistir do seu sonho do “carro próprio”. Sempre há um jeito de gastar menos. Segundo o Centro de Segurança Viária Brasileiro, a maneira como o motorista dirige pode influenciar na durabilidade do veículo e nas despesas com ele. Por isso, algumas mudanças nos seus hábitos na condução e utilizar equipamentos baratos, como um macaco jacaré usado, por exemplo, podem gerar uma economia maior em seu automóvel. Quer saber como fazer isso? Confira algumas dicas essenciais para fazer o seu bolso voltar a sorrir:

Acessórios

Alguns acessórios são fundamentais – e obrigatórios – para transportar no carro. Um deles, sem dúvidas, é o macaco para a troca de pneus. No entanto, sabemos que não se trata de um equipamento dos mais baratos. Para que o gasto não seja dos mais altos, é possível comprar um macaco jacaré usado, visto que um novo custa, em média, cerca de R$ 600,00, enquanto um aparelho recondicionado pode ser encontrado no mercado por cerca de R$ 200,00. É uma grande economia para o motorista, não é mesmo?

O macaco jacaré suporta diferentes capacidades (de 1,5 até 20 toneladas), sendo de fácil manuseio, exigindo menos esforço e se acoplando perfeitamente em diferentes modelos de carro. O equipamento utiliza óleo hidráulico para gerar a pressão interna no levantamento das cargas, possuindo um pistão hidráulico, um tanque de óleo, acionador manual, além de estrutura em aço. Ele levanta o carro de forma lateral.

Ar-Condicionado

O ar-condicionado não é indicado para uso na cidade, com velocidade baixa e brecando constantemente. Nesses casos, o ideal é andar com as janelas abertas. Agora, se você for pegar a estrada, pode ligar o ar-condicionado sem medo. Isso porque, se o automóvel estiver a mais de 80 km/h, a velocidade dos ventos pode interferir em sua aerodinâmica, contribuindo para aumentar o consumo.

Combustível

É bem comum ver postos adulterando combustíveis pelo país afora. Além de comprometerem a saúde dos componentes do motor, isso atrapalha a leitura da central e fazem o consumo subir significativamente. Para evitar esse problema, procure abastecer em grandes redes e postos confiáveis, com os selos da Agência Nacional do Petróleo (ANP) e do Inmetro visíveis nas bombas.

Manutenção

É verdade que essas manutenções custam um pouco, mas é melhor ter esses gastos programados do que ser pego de surpresa com algum defeito futuramente. Muitas vezes, não trocar o óleo ou deixar de realizar algum outro procedimento necessário pode fazer com que o seu automóvel gaste mais combustível. No fim das contas, esses custos com a prevenção de problemas mecânicos no automóvel acabam se revelando investimentos. São rotinas de manutenção preventiva com gastos relativamente baixos, que ficam ainda mais em conta quando comparadas às intervenções que evitam.

Marchas

Dirigir em velocidades muito baixas nas marchas mais altas faz o motor funcionar de forma irregular. Procure trocar, então, as marchas conforme o desenvolvimento da velocidade. Caso precise reduzir, avalie a redução pelo câmbio. Evite também manter o carro em ponto morto em descidas. Nos veículos atuais, o motor é mantido em marcha lenta, mas sem cortar o fornecimento de combustível. Já se o automóvel é mantido engrenado, a central fará a leitura correta, entendendo que não é preciso alimentar o motor para que o carro se mova e, diminuindo o desgaste e o consumo.

Pneus

A calibragem dos pneus ajuda a diminuir o consumo de combustível, pois, quando estão vazios, sua área de contato com o solo é maior, o que aumenta o atrito dos pneus com o piso e o consumo.

Velocidade

Evite pisar no acelerador bruscamente, porque velocidades muito altas significam maior atrito entre as partes móveis, o que causa um desgaste maior de componentes do motor, da transmissão e, principalmente, da suspensão.

Embreagem

Dirigir com o pé no pedal da embreagem quando a marcha já estiver engatada tende a danificar a tração e os componentes, podendo resultar na troca dos conjuntos e em gastos extras.

Share this post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email